Mostrando todos os 3 resultados

500 dias sem Você – Samantha Silvany

 19.00

500 Dias Sem Você não é mais uma história de amor focada em um término de relacionamento. Não é sobre dor de cotovelo nem pé na bunda. A história é sobre uma pessoa – não uma mulher nem um homem, apenas uma pessoa – descrevendo em um diário de cartas direcionadas a outra pessoa, que apenas conhecemos como “você”, as nuances no caminho para se reencontrar.
Os sentimentos não tem gênero, então os personagens também não tem. Pode ser qualquer um. Pode ser quem você quiser. A saga se inicia no fim de relação tóxica, pois toda boa história de amor fala sobre recomeço. É uma história sobre autoconhecimento, a busca pelo amor-próprio e a urgência em ser feliz.

 

 

Manual do Borogodó – Samantha Silvany

 17.50

SINOPSE:

Conteúdo do Manual: 1. Amor-próprio se contrói, 2. Desilusão não mata, fortalece, 3. Os signos e o amor, 4. O jogo da conquista, 5. Pisa e Alisa dos relacionamentos, 6. Como identificar um embuste, 7. Chá de sumiço, 8. Autossabotagem, 9. Término de relacionamento 10. Ex; voltar ou superar?, 11. Meta de relacionamento, 12. A verdade inconveniente, 13. A mulher de atitude não é para homem covarde, 14. Siga o exemplo dela.

Samantha Silvany também é autora do best-seller 500 Dias Sem Você.

Verdades Difíceis de engolir – Samantha Silvany

 21.50

SINOPSE

“Amor é morar em um peito que nos cabe por inteiro. Se a gente precisa forçar a entrada ou se espremer para servir, é hora de nos mudarmos.” O escritor Dan pensava estar vivendo um verdadeiro romance clichê com seu amor de infância, pelo menos até conhecer Sofia, uma mulher que o faz sentir coisas que nunca sentiu antes. Sofia, uma mulher empoderada e decidida, mas azarada no amor, achava ter encontrado seu par perfeito, até descobrir que seu príncipe encantado era o mesmo de outra pessoa. Já Alicia está convencida de que encontrou o grande amor e que nada e ninguém irão impedi-la de seguir ao altar e ter seu tão sonhado “felizes para sempre”. Mesmo que precise passar por cima de si mesma para isso. Mesmo que tenha que esmagar seu amor-próprio para provar para si e para os outros que aquele homem é a metade que lhe falta. Mas será que as pessoas realmente são incompletas e precisam de outra metade para encontrar a felicidade? O preço para viver um grande amor pode ser a própria dignidade? A sororidade existe mesmo ou é só uma palavra bonita que decidiram acrescentar no dicionário? Sofia tem algumas respostas para essas perguntas, mas Alicia tem outras bem diferentes…